Quatro corredoras avaliam a prova 21k Noronha 2017

VIDA QUE CORRE

A quarta edição da prova 21K Noronha reuniu 773 corredores de todo o País na ilha de Fernando de Noronha no sábado (2 de dezembro). A corrida teve dois percursos. Cerca de 150 corredores completaram 8 quilômetros os demais, os 21kms. O trajeto incluiu terreno variado, com subidas e descidas pelo asfalto, trilhas, costões e praias, como Cacimba do Padre e Conceição.

Corredoras que participaram, pela primeira vez, da corrida contam o que acharam da 21k Noronha 2017.

 

Iara Cecília Pasqua, 40 anos

Noronha_IARA

A 21K Noronha não foi fácil, muitas ladeiras, ruas de pedra que merecem atenção redobrada do corredor, duas praias de areias “fofas” que sobrecarregam as pernas. Mas, tudo valeu a pena! Noronha, realmente, merece o título de “A Corrida Mais Bonita do Mundo”! É difícil explicar o quanto a paisagem ajudou os 21k passar… as mesmas ladeiras maravilhosas, ruas de pedras históricas, praias paradisíacas deixam tudo fácil.

A melhor parte, para mim, foram os dois mirantes. Um deles com vista para a praia do Leão e outro, com vista para a Ponta das Caracas. Foram dois lugares onde o corredor tinha que pegar a pulseira para comprovar que passou por ali. Fiquei pensando: “Meu Deus, que ironia!!! Alguém perderia a oportunidade de passar por ali?”

Com certeza, voltarei a Noronha para correr. Nem precisaria dizer isso, mas digo para deixar registrado o quanto gosto dessa “vida que corre”! Voltarei também para fazer passeios que não consegui fazer. Os 4 dias não foram suficientes já que dediquei uma tarde para assistir às palestras do diretor da prova e coordenador da área reserva na véspera da corrida.

As orientações foram importantes para quem não teve tempo de conhecer o percurso antes. Saber as regras de conservação ambiental foi muito importante para reforçar meus valores de respeito e gratidão pela natureza desse mundão maravilhoso. O que Noronha significou para mim? Lavar a alma com 50 tons de azul do mar paradisíaco… sem mais!

 

Lilian Vieira, 39 anos

Noronha_LilianQuando me perguntam “A 21K Noronha foi fácil ou difícil”? Só lembro dos momentos maravilhosos contemplados durante os 21 kms. Sinto-me renovada pela sensação de paz, felicidade e alegria que a 21K Noronha me trouxe. A princípio, pensei em me presentear com esta viagem. Mas, foi mais do que isso. Foi uma experiência maravilhosa e totalmente diferente de algo que eu poderia imaginar.

 

 

Cecília Baldini,41 anos

Noronha_CeciliaOptei por participar da 21K Noronha para encerrar 2017 com uma corrida especial. Minha preparação para a 21K Noronha 2017 foi focada em subidas. Controlei bastante no início e consegui atingir meus objetivos. Acredito que, para suportar o sol e ter equilíbrio nas pedras na descida da igreja, só treinando em Noronha mesmo.

A 21K Noronha superou minha expectativa. Além das belezas naturais da ilha, já esperadas pelo percurso, a união que se formou entre os corredores e turistas foi algo único. Tive o prazer de conhecer pessoas de diversas partes do Brasil em todas as situações possíveis: passeios de barco, restaurantes, dentro do avião. Afinidade instantânea com pessoas da corrida que resultou em verdadeiras amizades!

 

Adriana Aguilar, 43 anos

Noronha_Adriana_zapDesde agosto passado, eu já vinha treinando subidas para a Meia Maratona Caminhos do Mar, na Estrada Velha de Santos. Imaginei, então, que o percurso da 21K Noronha não me surpreenderia. Me enganei. As subidas e descidas nas trilhas de Fernando de Noronha são íngremes demais, com superfície muito irregular e várias pedras soltas. O percurso exige do atleta não só preparo físico para subidas e descidas, mas também muito equilíbrio e consciência corporal para não torcer o pé com pisadas erradas.

Há ainda o calor forte, por volta dos 30 graus, já a partir das 7 horas e tantas da manhã. Todas essas variáveis (trilhas com subidas e descidas, terreno irregular com pedras, calor, areia fofa na praia Cacimba do Padre e praia da Conceição), quando somadas, tornam a 21k Noronha uma prova difícil, mas prazerosa pelo cenário e alegria dos corredores de todo o Brasil na ilha.

Durante a retirada do kit, o organizador da prova, Lisandro de Almeida, avisou aos corredores que a 21K Noronha não era prova para tempo. Mas, sim para atenção ao percurso, apreciação da paisagem e cuidados com a natureza. Quanto à beleza natural da ilha, as fotos falam por si só. Não há o que comentar.

Em 2016, eu já estava de olho na 21K Noronha, mas o plano não deu certo. Em 2017, não houve vacilo. Tudo foi programado com antecedência para eu seguir para a prova sozinha. E digo que foi uma experiência bem sucedida, com muito orgulho e alegria. Mesmo com percurso difícil, quero repetir SIM a prova. Essa experiência tão excêntrica não tem preço!

VIDA QUE CORRE

- blog com informações sobre qualidade de vida, saúde e esportes (corrida, natação, ciclismo, entre outros)

Mais Lidos

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>