Maratonista quer superar velocidade média de 17 km/h

Adriana Aguilar

Adriana da Silva, com 33 anos, é detentora do recorde brasileiro da maratona feminina no Brasil. Ela corre a uma velocidade média de 17 quilômetros por hora. Em 2015, seu objetivo é aperfeiçoar ainda mais esse tempo para os jogos olímpicos no Rio de Janeiro no próximo ano.

“Quero melhorar minha marca para correr junto com as meninas lá na frente nos Jogos Olímpicos 2016. Mesmo elas sendo mais fortes do que eu, acredito que farei o melhor”, diz. “Meu ponto forte, que me ajuda em relação às adversárias, é a forma de trabalhar a cabeça para a superação das dificuldades”, completa.

Pertence a Adriana da Silva o recorde brasileiro em maratonas femininas, conquistado em Tóquio, com 2 horas e 29 minutos e 17 segundos. Ela também ganhou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos 2011, na cidade de Guadalajara, no México.  Em julho de 2015, a Adriana é a maratonista que representa o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá.

O preparo da  atleta  envolve treinos pela manhã e pela tarde, de segunda a sábado, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, sob orientação do técnico Claudio Castilho. Em média, Adriana treina 30 quilômetros por dia, podendo chegar ao total de 215 quilômetros por semana.  Os treinos são intercalados com dias de tiros, dias de corridas longas e horas de musculação.

Nos meses que antecedem as competições consideradas importantes, Adriana se concentra por um mês em uma cidade a 185 quilômetros de Bogotá, capital da Colômbia.  O município chama-se Paipa e fica na Cordilheira Oriental da Colômbia, a 2.525 metros de altitude do nível do mar. Lá, ela repete os tiros de 1 quilômetro por 21 vezes. “É um treino exaustivo”, afirma.

Adriana raramente treina em esteiras. “Não gosto de lugar fechado. Prefiro ruas e parques para variar o percurso com subidas e descidas. Só se estiver chovendo muito forte, treino em esteira. Mas, é bem raro”, diz.

A média de gordura na composição corporal da atleta é de 11%.  Com 1,68 metros de altura, ela pesou 48 quilos até 2004. Desde então, o corpo tem se mantido em 50 quilos, mas sem qualquer tipo de restrição alimentar.

Faz uso de algum suplemento ou tem uma alimentação especial para manter a performance?  Nada.  “Tenho uma alimentação rica em carboidratos e procuro suprir o máximo dessa necessidade com a alimentação natural porque não gosto de usar suplementos. Não tenho restrição para comer.  Pela manhã, como o pão francês da padaria. Quando estou em competições fora do Brasil, procuro restaurante para comer massa. Como macarrão”, conta.

Ainda assim, é necessário suprir as exigências maiores do corpo durante as competições, Adriana toma o carboidrato maltodextrina em pó, misturado com água. “A cada cinco quilômetros uso a suplementação de carboidrato para ter reserva de energia e conseguir chegar até o final da prova. Durante os treinos semanais, quase não uso. Não gosto. Prefiro a comida natural”, diz.

 

Veja a entrevista da maratonista Adriana da Silva para o blog VIDA QUE CORRE

Adriana Aguilar

Adriana Aguilar - jornalista e integrante da equipe do blog VIDA QUE CORRE

Mais Lidos

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>