“A Maratona de São Paulo é uma prova dura”, diz recordista Adriana Silva

VIDA QUE CORRE

Adriana Silva corre a uma velocidade média de 17 quilômetros por hora (kms/h). Também é a recordista brasileira em maratonas femininas. E considera o percurso da Maratona de São Paulo difícil.

Da última vez que fez o percurso da Maratona Internacional de São Paulo, em 2010, Adriana Silva ficou em 3º lugar no pódio feminino com o tempo de 2 horas e 40 minutos e 39 segundos (2h 40´39’’). “É uma prova dura na segunda metade do percurso, quando há as subidas do túnel”, afirma a maratonista.

Adriana Silva, 33 anos, é a recordista brasileira em maratonas femininas. O recorde foi conquistado na Maratona de Tóquio, em 2012,  com o tempo de 2h 29’ 17’’.  Ela também ganhou a medalha de ouro na maratona dos Jogos Pan-Americanos 2011, na cidade de Guadalajara, no México.  Seu objetivo é melhorar a sua marca para correr bem nos Jogos Olímpicos 2016.

Neste ano, Adriana Silva não participará da Maratona Internacional de São Paulo, que ocorrerá em 24 de abril. Isso porque ela está na Alemanha, onde participa da Maratona de Hamburgo neste domingo (17 de abril).  “Eu pretendo fazer o tempo de 2h 30′ na Maratona de Hamburgo. Se eu atingir essa marca, há a possibilidade de ficar entre as 5 primeiras”, afirma.

Trecho mais difícil

Para Adriana Silva, existem vários momentos dentro de qualquer maratona, seja em São Paulo ou em Hamburgo.  “Os primeiros 10 kms são muito tensos, pois é um momento em que estou muito descansada e preciso controlar minha ansiedade para não largar forte demais e estragar a prova. Melhora depois dos 15 kms e, a partir dos 30 kms, vem as dores e o cansaço da prova. É o momento que eu preciso trabalhar muito a cabeça para superar essas dificuldades”, explica a maratonista profissional.

Adriana Silva considera muito importante que o atleta amador vá para a maratona sabendo o ritmo ideal que ele pretende correr. “A pessoa consegue estabelecer esse ritmo de acordo com os resultados dela durante os treinos de preparação. E tem de tomar muito cuidado, no início de prova, para não sair forte demais e quebrar no final. É preciso correr com segurança. Se sentir vontade de arriscar, melhor fazer na segunda metade da maratona e controlar a ansiedade no início”, explica.

Descanso

Na semana da prova, os treinos da Adriana Silva são bastante reduzidos. “Eu não interrompo totalmente o treino. Não me faz bem descansar demais. O corpo fica muito mole! Até um dia antes da maratona, eu corro 30 minutos”, diz a atleta profissional.

Ansiedade

Segundo Adriana Silva, nos momentos que antecedem a prova, ela procura pensar nos bons treinos realizados. É uma maneira de driblar a ansiedade e, assim, evitar pensamentos negativos. “Também, na véspera das provas, não consigo ter sono profundo. Procuro descansar e dormir durante toda a semana para tentar compensar a insônia da véspera e, assim, não chegar cansada na largada”, afirma.

Alimentação

Geralmente, na minha alimentação, tem bastante carboidrato . Eu costumo comer macarrão na véspera de prova.

VIDA QUE CORRE

- blog com informações sobre qualidade de vida, saúde e esportes (corrida, natação, ciclismo, entre outros)

Mais Lidos

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>